Voltou atrás: Juiz decreta prisão de suspeito de matar policial, 24 horas depois de declarar soltura dele

0

A Justiça Estadual decretou, nesta terça-feira (11), a prisão temporária de quatro suspeitos de matar um policial civil em Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), no último sábado (8). Entre eles está um jovem de 18 anos, que foi preso em flagrante horas após o crime e teve a prisão relaxada em audiência de custódia, na última segunda (10).

A reportagem apurou que, apesar de ter tido a prisão relaxada, Michael da Costa de Queiroz, conhecido como ‘Maikim’, não chegou a ser colocado em liberdade, porque o juiz havia pedido um novo exame de corpo de delito no suspeito, diante das denúncias de agressão policial.

A Polícia Civil do Ceará (PCCE) informou, nesta terça (11), que o mandado de prisão temporária já foi cumprido e que ‘Maikim’ foi transferido da Delegacia de Capturas e Polinter (Decap), no Centro de Fortaleza, para a sede do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), no Bairro de Fátima, para ser reinquirido.

O juiz Carlos Eduardo de Oliveira Holanda Júnior, da Vara Única do Júri de Caucaia, que havia relaxado a prisão em flagrante, por entender que a mesma foi ilegal, decretou a prisão temporária (por 30 dias) de ‘Maikim’ e mais três suspeitos, Elias Carvalho da Silva de Matos, Edvan da Silva Rodrigues (o ‘Van’) e Paulo Davi Sales de Moraes (o ‘Gago’). Segundo o magistrado, a prisão “imprescindível para uma rápida e eficiente investigação policial”.

O juiz justificou, na última decisão, que a Polícia Civil trouxe novos indícios “suficientes e concretos da participação do outrora flagranteado, juntamente com outros representados, no grave crime praticado contra o policial civil”.

Neste caso em análise, somente agora de fato há testemunha devidamente identificada, sob segredo de Justiça, nos termos do provimento da Corregedoria Geral de Justiça deste Estado (Testemunha X), que informa que viu os representados saindo do local do crime, logo após ouvir os disparos de arma de fogo que vitimaram o policial, bem como que tais suspeitos estariam usando a casa abandonada como refúgio noturno já há um mês.”

Policial ficou por 40 minutos na casa e mandou fotos para a esposa, até ser surpreendido e morto

O escrivão da Polícia Civil do Ceará (PCCE), Edson Silva Macedo, de 42 anos, passou cerca de 40 minutos na casa em Caucaia, Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), e chegou a mandar fotografias do local para a esposa, antes de ser surpreendido e assassinado a tiros pelos criminosos, na noite do último sábado (8). Um suspeito de participar do crime foi preso pela Polícia Civil e solto pela Justiça Estadual, em audiência de custódia.

Conforme documentos obtidos pelo Diário do Nordeste, o escrivão chegou à residência, localizada na Rua Canaã, no bairro Padre Júlio Maria, no início daquela noite, e conversou com um vizinho, que confirmou a ele a invasão do imóvel por pessoas com frequência. Cerca de 40 minutos depois, o mesmo vizinho ouviu os tiros.

Outra mulher afirmou à Polícia que o plano de Edson era fechar a porta da sala da casa por dentro com madeiras – para dificultar o acesso dos criminosos – e sair pelo telhado. Os policiais encontraram, no celular do escrivão, fotos compartilhadas com a sua esposa, mostrando como a casa estava revirada.

Fonte: Diário do Nordeste

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui