Tabu da camisa 24: Bahia lança campanha contra homofobia no futebol

0

Depois de o Bahia lançar a campanha contra a homofobia e de o volante Flávio vestir a camisa número 24 como um símbolo, o Bahia iniciará uma corrente convidando outros clubes a seguirem o mesmo caminho. O próprio Flávio decidiu que usará o número 24 por toda a temporada.

A estreia foi contra o Imperatriz-MA, pela Copa do Nordeste, na terça (28/01). Flávio gostou e sentiu-se honrado também pela campanha contra a homofobia e porque o 24 era o número de Kobe Bryant no Los Angeles Lakers. “Acho uma grande bobagem o fato de ninguém usar o número 24 no Brasil. Temos de respeitar todo mundo, independentemente do gênero, raça e opção sexual”, disse Flávio, ao anunciar que usará essa numeração até dezembro.

Paralelamente à decisão de Flávio, duas hashtags circulam contra a homofobia. Uma é #pedea24, campanha encampada pela revista Corner. Outra, do Bahia, é a #NúmeroDoRespeito. Informação do blogosfera.uol.com

Victor Cantillo usará a camisa 24 no Corinthians

Corinthians dá a camisa 24 a Victor Cantillo, após polêmica

Dono do número no Junior Barranquilla, o jogador foi tema de polêmica em sua chegada ao clube quando o diretor de futebol Duílio Monteiro Alves deu uma declaração homofóbica antes da entrevista coletiva de apresentação e disse que o número não poderia ser usado no Timão.

– Vinte e quatro aqui não – disse Duílio, rindo.

Na época, o Timão disse que ele receberia a camisa 8 para homenagear o ex-volante Freddy Rincón, que vestiu essa camisa quando foi jogador do Corinthians. No mesmo dia, o diretor usou as redes sociais para se desculpar.

Ontem (30/01), Cantillo entrou no segundo tempo da partida contra a Ponte Preta. O volante, nos 45 minutos que atuou, foi capaz de dar outra cara ao time de Tiago Nunes. O início da jogada do gol corintiano saiu de seus pés.

Nesta semana, o clube debateu internamente a possibilidade de entregar a camisa 24 para o jogador na Libertadores, já que a numeração da competição é de 1 a 25. A outra opção seria dar ao goleiro Filipe.

O clube, porém, decidiu deixar Cantillo de forma definitiva com a nova numeração. A decisão foi tomada no vestiário. Uma camisa com o nome do jogador e o número 8 já estava pronta, e apareceu em foto de um dos roupeiros da equipe, em registro nas redes sociais.

Registrado na CBF ontem (30/01), o jogador começa no banco de reservas contra a Ponte Preta. O número, no jogo do bicho, é associado ao veado. Disso decorreu uma associação homofóbica no Brasil. O número passou a ser mencionado em comentários sobre homossexuais.

O Corinthians tem o hábito de ignorar o 24 na numeração de seus jogadores. Foi o caso, por exemplo, da listagem de atletas na Copinha deste ano. Em competições que exigem numeração sequencial, algum jogador acaba vestindo a camisa 24. Foi o caso do goleiro Cássio na Libertadores de 2012.

Fonte: globo.com/Foto: Marcos Ribolli

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui