Possíveis reações às vacinas de Oxford e Pfizer colocam Dinamarca, Áustria e Japão em alerta

0

Países investigam relatos de coágulos no sangue e anafilaxia – reação alérgica aguda – após aplicação de imunizante contra a covid-19

Redação, O Estado de S.Paulo

11 de março de 2021 | 09h15 SAIBA MAIS

JapãoDinamarca e Áustria estão em estado de alerta após registros de possíveis eventos adversos a vacinas contra a covid-19. Agências de saúde europeias investigam casos de coágulos no sangue em pessoas que receberam doses da Oxford/AztraZeneca. Autoridades japonesas analisam relatos de anafilaxia – reação alérgica aguda – depois da aplicação do imunizante da Pfizer

A Dinamarca, onde um caso de coagulação sanguínea foi confirmado, suspendeu por 14 dias a aplicação da vacina de Oxford/Astrazeneca. A Áustria também barrou o uso de doses de um lote específico (número ABV5300)  do imunizante para investigar um óbito por problemas de coagulação e um caso de embolia pulmonar. Não se sabe quantos problemas de saúde, ao todo, foram relatados. 

Autoridades disseram que outros seis países europeus interromperam a aplicação desse lote. “Tanto nós quanto a agência dinamarquesa de medicamentos temos de responder a relatórios de possíveis efeitos colaterais graves, tanto da Dinamarca como outros países europeus “, explicou o diretor do órgão na Dinamarca, Soren Brostrom, em um comunicado.

No Japão, o ministro responsável pela campanha de vacinação contra a covid-19, Taro Kono, sinalizou ao comitê parlamentar que as taxas de anafilaxia possivelmente associadas à aplicação do imunizante são mais altas do que em outros países, como Estados Unidos e Europa. Até agora, segundo ele, foram relatados 25 casos – 24 em mulheres – entre cerca de 148 mil profissionais de saúde vacinados. Nos EUA, uma reação é relatada a cada 1 milhão de doses administradas. No Reino Unido, 20 por milhão. 

Equipes de saúde japonesas orientam pessoas que tomam a vacina da Pfizer a permanecer no local por pelo menos 15 minutos para verificar anafilaxia e outros efeitos colaterais. De acordo com o Ministério da Saúde, Trabalho e bem-estar do país, as possíveis reações, que podem ocorrer de cinco a 30 minutos após a injeção, incluem dor de garganta, urticária e dificuldade respiratória. 

Investigação em curso

A AstraZeneca diz que seus imunizantes são submetidos a um rígido controle de qualidade e que não foram confirmados eventos adversos sérios associados à vacina. A farmacêutica afirma estar em contato com autoridades austríacas e apoiará completamente as investigações. 

A agência europeia de medicamentos (EMA) disse nessa quarta-feira, 10, que não há ainda evidência que os dois casos relatados na Áustria tenham relação com a aplicação da vacina contra a covid-19. O órgão  afirma ainda que o número de eventos tromboembólicos – identificados pela formação de coágulos sanguíneos – em pessoas que receberam o imunizante da AstraZeneca não é superior ao que ocorre na população em geral, com 22 casos reportados em 3 milhões de vacinados. 

A agência dinamarquesa de medicina diz que analisa os casos em parceria com a EMA e autoridades de outros países da Europa. “É importante destacar que não descartamos a vacina da AstraZeneca, apenas suspendemos a aplicação”, ressaltou Brostrom. Por causa disso, a data de finalização da campanha de imunização contra a covid-19 na Dinamarca, prevista para 15 de agosto, foi adiada.

Com Reuters/ Jornal Estado de São Paulo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui