Passarela da Praça M. Dias Branco é bonita e segura, mas quase ninguém usa

0
Acesso da passarela, pelo lado da Avenida Eduardo Girão, "virou" sanitário de malandros

Apesar da beleza da construção e da sua importante utilidade para os seus frequentadores, a passarela de acesso à Praça M. Dias Branco, na Avenida Aguanambi, bairro de Fátima, é muito pouco usada. Até recentemente, a entrada do lado da Avenida Eduardo Girão estava lacrada, descumprindo assim a sua real finalidade. Os moradores e visitantes que passam pelo bairro avisam que este logradouro tem potencial, mas não é devidamente explorado.

Desde sua instalação, há mais de 15 anos, a dita passarela ficou em segundo plano para grande parte dos moradores do bairro, principalmente para aqueles que residem próximos à praça. O suposto abandono da passarela pode ser explicada por uma antiga moradora desta área da cidade. Mostrando bastante lucidez, apesar de idade avançada, dona Terezinha lembra dos bons tempos quando no local da rotatória só havia uma ponte horrorosa no cruzamento da Avenida Aguanambi com um canal (antigamente era o Riacho Parreão), hoje Avenida Eduardo Girão.

Mesmo não ter circulado pela passarela da Praça M. Dias Branco, devido sua idade, dona Terezinha diz que as reclamações contra esta obra, só em parte tem validade. E avisa. “Só quem passa por lá são pessoas mais pobres que não tem carro. Os metidos a ricos do bairro preferem apontar os defeitos e não fazem nada para contribuir para toda comunidade. É fácil dizer que a passarela não é usada. Lógico. As dondocas não olham nem quando passam de carro. E o que não é usado, acaba sendo encostado. Aí, os marginais aproveitam”, sentencia.

Passarela da Praça M. Dias Branco merece mais cuidado pelo poder público municipal

Outro morador das antigas do bairro, “seu” Bernardo, conta que a praça poderia ser melhor utilizada, desde que a Prefeitura de Fortaleza, as famílias da área e iniciativa privada promovessem atividades recreativas para crianças de famílias de baixa renda nesse local. “Em vez de malandro ficar fumando porcaria aí, principalmente à noite, por que não ajudamos a fazer alguma coisa de bom nessa praça. Apresentação de banda, conjunto musical, danças folclóricas, e por aí vai. É por isso que a passarela não é usada. Quem passa só está de serviço ou voltando para casa (moradores do São João do Tauape e Lagamar, principalmente)”, finaliza.

A rotatória, melhor a Praça M. Dias Branco, foi discutida na administração de Juraci Magalhães, mas projetada e edificada na gestão da prefeita Luizianne Lins.

Fonte: Redação do Site da Rádio Clube 1200/Arilo Araujo com texto e fotos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui