Pandemia da Bala: 2022 já começa com muita violência em Fortaleza

0

As horas que antecederam o Réveillon e o primeiro dia de 2022 em Fortaleza foram marcados por crimes de execuções e tentativas de homicídios. Casos registrados nos bairros Curió, Antônio Bezerra, Granja Lisboa, Vila União, Cristo Redentor e Pirambu movimentaram o plantão das Polícias Civil e militar, entre a sexta-feira, 31, e a tarde deste sábado, 1º.

No dia 31, um homem de 28 anos foi morto dentro do próprio veículo, no Curió, área da Grande Messejana. Ele possuía antecedentes criminais por porte ilegal de arma de fogo e corrupção de menor. Quando foi abordado pelos criminosos armados, ele estava acompanhado de uma mulher e uma criança no carro. Os homens utilizavam uma picape Fiat Toro. A mulher desceu do veículo com a criança e o homem foi baleado. Ferido, ele ainda conseguiu transitar no veículo por aproximadamente 50 metros, mas em seguida desmaiou. Os criminosos voltaram ao carro da vítima e realizaram mais disparos. Ele morreu no local.

Já no bairro Antônio Bezerra, um corpo foi encontrado na comunidade do Açaí, em uma área de matagal. A vítima do sexo masculino não possuía identificação e estava amarrada. O corpo estava parcialmente carbonizado. O Corpo de Bombeiros também participou da ação de retirada do cadáver.

Na Granja Lisboa, um homem foi executado na rua Coronel Fabriciano. Os suspeitos estavam em um automóvel e uma motocicleta e fugiram do local após a ação criminosa. De acordo com a SSPDS, o corpo, ainda não identificado, foi encontrado em via pública.

Ainda na sexta-feira, 31, um corpo do sexo masculino foi encontrado na Lagoa do Opaia, bairro Vila União, em Fortaleza. A vítima, um rapaz de 21 anos, apresentava perfurações. A informação foi confirmada pela Secretaria da Segurança.

Neste sábado, 1º, uma mulher foi morta na rua Francisco Calaça, no bairro Álvaro Weyne. A vítima transitava em uma bicicleta quando foi surpreendida por criminosos que efetuaram os disparos. Uma criança estava na cadeirinha na parte traseira do transporte. Ela não foi atingida. A mulher morreu no local do crime. A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) confirmou a morte.

Horas depois, no Pirambu, bairro vizinho ao Álvaro Weyne, três pessoas foram baleadas. Uma delas um cabo da Polícia Militar do Ceará e um amigo dele, que havia passado no último concurso da PMCE e aguardava ser chamado. Segundo uma fonte, uma terceira pessoa saiu ferida.

O adolescente suspeito do ataque a tiros no Pirambu, na zona Oeste de Fortaleza, que feriu três pessoas e causou a morte de uma delas, relatou à Polícia em seu depoimento que o ataque no bairro era uma retaliação a um ataque que teria acontecido na comunidade dele, na Colônia, e que o critério para ser morto seria “quem tinha mais jeito de pilantra”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui