O inferno australiano

0

Gilson Barbosa (*)

A imprensa mundial tem comparado os eventos na Austrália ao inferno descrito pelo poeta florentino, nascido na atual Itália, Dante Alighieri (1265-1321), em sua  “Divina Comédia”. Não é para menos. Regiões férteis daquele país, especialmente o Estado de Nova Gales do Sul, vêm sendo arrasadas  por incêndios desde outubro passado, apesar dos esforços dos bombeiros e guardas florestais para contê-los. Na realidade, a situação saiu de controle e esta é a mais devastadora temporada de incêndios nas florestas australianas em toda a história do país. Pelo menos 28 pessoas já morreram por conta da destruição avassaladora e muitas famílias  deixaram casas, fazendas e outros bens em busca de sua sobrevivência. A fumaça causada pela dantesca situação é vista do espaço há semanas e deverá deslocar-se até dar uma volta inteira pelo planeta, segundo a Administração Nacional de Aeronáutica e Espaço (Nasa) norte-americana. Só por esse fato, pode-se ter ideia da gravidade da tragédia social e ambiental que atinge o país, cuja área territorial é apenas um pouco menor do que a brasileira.  
 
A biodiversidade australiana, única no mundo, foi duramente atingida. Calcula-se em um bilhão o total de animais mortos pelas chamas. Os cangurus, ornitorrincos e outros, endêmicos apenas no país, estão desaparecendo. Situação mais grave é a do frágil urso coala, marsupial que se alimenta apenas de folhas de eucalipto e acha-se sob risco de extinção. Como os incêndios atingiram também os eucaliptais, cerca de um terço dos 80 mil coalas ainda existentes já  desapareceu. Milhares de australianos assinaram uma petição para que a Nova Zelândia, que tem quase 30 mil hectares  com eucaliptos, resgate e acolha  coalas em seu território, pedido que foi negado. Os neozelandeses defendem que a espécie continue na Austrália e colaboram no combate às chamas. Todos desejamos que essa terrível catástrofe logo tenha fim.

(*)Jornalista e apresenta aos sábados , ao lado dos também jornalistas, Juarez Serpa e Everardo Lopes, o programa SENSO CRÍTICO, ao meio-dia, na RÁDIO CLUBE 1200 (E.L)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui