Na segunda etapa de depoimentos, clima na CPI das Associações Militares esfria

0

Hoje tivemos mais um depoimento da CPI das Associações na Assembleia Legislativa do Ceará, foi ouvido o Presidente da Associação das Praças do Estado (Aspra) Subtenente Eliziano Queiroz, Ele é o quinto convidado da comissão instalada no parlamento estadual para investigar suposto envolvimento de associações militares no movimento de policiais e bombeiros, em fevereiro de 2020.

Relator da CPI das Associações Militares, o deputado Elmano Freitas (PT) afirmou estar “satisfeito” com o depoimento e elogiou a entidade: “o grau de organização é muito perceptível”. Durante o depoimento, Elmano chegou a indagar como eram feitas as transações bancárias.

DEPOIMENTO

O depoente iniciou a fala detalhando a estrutura da Associação e os serviços oferecidos pela entidade – como auxílios natalidade e funeral, incluindo os valores pagos aos associados e familiares, além de serviços jurídicos e de hospedagem.

Além disso, foi entregue à CPI relatórios das transações bancárias da Aspra entre os anos de 2019 – quando foram iniciadas mobilizações ligadas às demandas salariais dos militares – e 2022.

O depoimento durou pouco mais de uma hora, tempo bem mais curto do que as sessões anteriores. Em clima de cordialidade, deputados tanto da base governista como da oposição fizeram elogios à atuação da associação.

Durante o depoimento, Eliziano Queiroz reforçou que a Aspra “não participou” e “não financiou” a paralisação de policiais e bombeiros militares em fevereiro de 2020. A Associação participou das mesas de negociação com o Governo do Ceará a respeito do reajuste salaria da categoria.

“O acordo não foi o que esperávamos, mas saímos com acordo firmado. (…) O acordo não foi satisfatório, mas houve oportunidade de explanamos demandas da categoria”, afirmou o presidente da associação, que também ressaltou ser “contrário” a paralisação ocorrida em 2020.

Indagado pelo deputado Soldado Noélio (UB) se houve “qualquer pressão” do deputado Capitão Wagner (UB), do vereador Sargento Reginauro ou de qualquer outro político para participação da associação no movimento dos militares, Eliziano também negou.

PRÓXIMOS DEPOIMENTOS

Na próxima terça-feira (3), a CPI das Associações Militares deve ouvir presidentes de quatro entidades do Estado. Inclusive o Presidente da Aspramece P.Queiroz, que participa de um quadro no Programa Contraponto da Rádio Clube todas as quartas-feiras.

São eles:

Pedro Queiroz da Silva, presidente da Associação de Praças da PM e do Corpo de Bombeiros (Aspramece);
Homero Catunda, presidente da Associação dos Oficiais da PM e do Corpo de Bombeiros Militar do Ceará (Assof);
Euriano Santabaia, presidente da Associação dos Subtenentes e Sargentos da PM e do Corpo de Bombeiros (ABSS);
Nascimento, presidente da Associação das Praças da Região do Cariri (Asprac).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui