Incêndio no Coco fecha avenida, causa grande fumaceira e pode ser criminoso

0

Vias próximas ao Parque do Cocó, em Fortaleza, amanheceram nesta quinta-feira (18) cobertas por fumaça e com forte cheiro de queimada. A situação é reflexo das chamas que atingiram pelo menos 20 hectares de vegetação na noite de quarta-feira. Cerca de 18 horas após o início do fogo, ainda há “focos remanescentes” no local. Conforme o Corpo de Bombeiros Militar do Ceará (CBMCE), pelo menos 20 hectares da unidade de conservação foram afetados.

“Não estamos falando de um incêndio, mas sim de 12 incêndios. São vários focos e isso indica ser uma ação criminosa. Alguém ou algumas pessoas fizeram queimas sucessivas”, explica tenente Waldomiro Loreto, do Corpo de Bombeiros. Conforme ele, o incêndio que teve início na noite dessa quarta-feira, 17, apresenta dificuldades de contenção por estar acontecendo em parte numa vegetação aquática, de difícil acesso.

Nesta quinta-feira, seis guarnições da corporação estão no local e grande parte do trabalho é feito manualmente com o uso de abafadores e de bombas costais.

No entanto, os ventos a 31 km aumentam a combustão do fogo e, consequentemente, espalham fumaça por uma maior extensão territorial. “A aeronave está sendo fundamental. Evita que [o fogo] se alastre e até apaga o fogo em muitos momentos, mas o negócio é dinâmico. O vento a 31 km/h não ajuda no momento, leva a fumaça mais longe, aumentando o incômodo e a dificuldade de respirar”, explica tenente Fideles Dutra. 

AVENIDAS FECHADAS

As avenidas Murilo Borges com Rogaciano Leite e Murilo Borges com Raul Barbosa (rotatória) foram bloqueadas nos dois sentidos pela Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) por causa da nuvem de fumaça espalhada pelos ventos intensos. 

Uma das áreas mais afetadas pelo incêndio, a avenida Raul Barbosa tem visibilidade comprometida, como relatam condutores de veículos e motocicletas que trafegam pelo local. Os resquícios do incêndio também são notados nos bairros Aerolândia, Aldeota, Guararapes, Dionísio Torres, Meireles, Fátima e Damas. 

RESOLUÇÃO DO INCÊNDIO

“A gente acredita que até meio-dia conseguimos resolver esse problema. Estamos colocando agora guarnições de Bombeiros no interior da mata para combater mais de perto”, afirma o tenente coronel Marinho, responsável pela operação no momento. “A dificuldade é o acesso na mata fechada e a grande quantidade de fumaça. Por conta de ser ainda uma mata verde, gera muita fumaça, diferente de um incêndio em locais mais secos”, completa o bombeiro. 

As chamas tiveram início por volta das 18 horas dessa quarta-feira, 17, e causam destruição à fauna e flora do local. A fumaça gerada pelo incêndio chega a diversos bairros da Capital, trazendo dificuldades para moradores das regiões mais próximas ao Parque. O trânsito também foi dificultado pela grande quantidade de fumaça.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui