EXCLUSIVO: Paralisação dos ônibus de Fortaleza será decidida amanhã

0

O Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviário do Estado do Ceará (Sintro) realiza amanhã, na Avenida Tristão Gonçalves, 1380 – Benfica assembléia geral. Os trabalhadores dessa categoria e diretoria do Sintro já se mobilizam visando essa reunião. O crescente índice de demissão de trocadores, o serviço de autoatendimento dos coletivos da capital, dentre outras questões da categoria são os principais temas abordados nessa evento.

O vice-presidente do Sintro, Francisco Sergio Barbosa Medeiros, conhecido Barbosinha, falou com a reportagem da Radio Clube AM 1200, e apontou essas questões. Ele garante, no entanto, que a paralisação não foi ainda decidida. “É um passo importante que devemos tomar. Antes, porém, estamos tentando esgotar todas as alternativas, negociando entre as partes interessadas. Acredito que toda tipo de paralisação provoca reação diversas na comunidade fortalezense. Por isso, vamos fazer nossa parte, objetivando o bem-estar da população da cidade, antes de tomar essa medida”.

O grande número de trabalhadores demitidos, devido à instalação do autoatendimento nos coletivos de Fortaleza, conforme Barbosinha, é preocupante e deve ser mostrado a nossa comunidade. Barbosinha adianta que nos últimos 12 meses, somente no Sintro, foram homologadas mais de 1.000 demissões. “São mais de 1000 trabalhadores sem emprego. Só, os homologados no Sindicato. São milhares demitidos. Quem tem menos de um ano de emprego, o processo de demissão e homologação ocorrem na própria empresa. Não sabemos quantos pais de famílias estão desempregado”.

Os usuários de transporte coletivo de Fortaleza, também, opinam a respeito do serviço de autoatendimento. Conforme “seu” Ernani, porteiro do Condomínio Acácia, 100, bairro de Fátima, o autoatendimento pode ficar em atividade. “Desde que “sobre” alguns ônibus com trocador. Tem dia que muita gente espera passar três coletivos com autoatendimento para pegar o que recebe dinheiro. Quem trabalha à noite, a situação complica. Já vi muita gente desesperada, nas paradas torcendo passar coletivo sem ser de autoatendimento”, denuncia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui