Enel apresenta nova proposta para cobrança de taxa dos provedores de internet, pequenas empresas são prejudicadas com as propostas

0

Os provedores de internet do Ceará e a Enel estiveram reunidos nesta segunda (30) para nova rodada de negociações a respeito da tarifa de instalação de equipamentos das empresas em postes da concessionária. Na ocasião, a Enel apresentou nova proposta de formatação da cobrança.

A distribuidora ofereceu que o multiplicador da taxa seja proporcional ao número de equipamentos instalados por poste, reduzindo o valor para os provedores que possuem mais caixas.

A categoria, no entanto, avalia a proposta inicialmente como insuficiente para se chegar a um consenso.

Elgton Lucena, membro da comissão técnica que negocia a cobrança da taxa como representante local, pontua que apenas as grandes empresas se beneficiariam da solução, enquanto as pequenas continuariam fortemente impactadas.

“Resumindo, o provedor maior, que tem mais cobertura, vai pagar menos, enquanto o que tem menor cobertura paga mais”, explica.

O empresário também lembra que o custo para instalação dos fios já é muito elevado em comparação ao restante do País. O multiplicador, mesmo que limitado de 1 a 4, ainda traria um forte aumento de custos.

“O problema da proposta é que, além de beneficiar o maior, já pagamos um preço muito alto por poste, cerca de R$ 12, então mesmo o multiplicador um já é problemático”, argumenta.

Basilio Perez, conselheiro de administração da Associação Brasileira de Provedores de Internet e Telecomunicações (Abrint) e também membro da comissão técnica que discute o imbróglio, reforça que a nova proposta ainda não atende às reivindicações do setor.

Ele lembra que o ideal é que não seja realizada nenhuma cobrança sobre a instalação dos equipamentos.

“A gente quer que não seja feita cobrança adicional, pois ela gera aumento de custos desproporcional aos provedores, podendo até inviabilizar as empresas”, recorda.

Além disso, Perez reitera que o escalonamento pode parecer justo à primeira vista, mas beneficia apenas quem possui mais equipamentos instalados, ou seja, as médias e grandes empresas.

Contra-proposta

Apesar da primeira impressão, o executivo pontua que oferta será analisada mais a fundo para então a categoria divulgar um posicionamento final a respeito e preparar uma contra-proposta, se for o caso.

“Ainda vamos receber a proposta formalizada por escrito, pois ela foi apenas apresentada em reunião virtual. A partir de então, vamos fazer simulações com dados reais de empresas locais que já possuímos e ver o resultado que causaria”, afirma.

Outro pedido da comissão é que a Enel espere a finalização da nova resolução que trata sobre o compartilhamento de infraestrutura.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui