Covid-19: Rocinha (RJ) ganha testes gratuitos rápidos, de um ex-morador do bairro

0
Exemplo de cidadania: criança da Rocinha, Rio de Janeiro, usando máscara

“O governo só vai testar quem está realmente muito mal. Se você testa só quem está muito mal, você não consegue monitorar o vírus, não consegue criar estratégias realmente efetivas” para conter o avanço da COVID-19″. A explicação é de Pedro Berto, criador do projeto “Favela sem corona”.

Ex-morador da Rocinha, este estudante de administração de 29 anos captou recursos pela internet para comprar centenas de testes sorológicos e rápidos, colocando-os à disposição da comunidade. Pedro faz e bem feito o papel do pastor prefeito Crivella.

Para ser testado, o morador só precisa ir até uma clínica particular da favela e fazer um exame de sangue. O resultado sai em 24 horas. Em caso de resultado positivo para a COVID-19, se o paciente tiver sintomas leves, faz quarentena domiciliar. Mas se apresentar sintomas mais acentuados, é orientado a ir para um centro de saúde.

“Tem bastante risco de expansão na comunidade porque dos testes que a gente tem feito aqui, de 40 a 50 por cento estão dando positivo”, explica Tiago Vieira Koch, diretor da clínica. O balanço oficial mais recente registrou 36 casos confirmados e três mortos nesta comunidade com mais de 100.000 habitantes.

Com ruas estreitas, residências precárias, próximas umas das outras e geralmente com não mais de dois cômodos, para as famílias que vivem na Rocinha, a quarentena e o distanciamento social são desafios.

A quarentena traz um problema adicional para muitos moradores da comunidade, que dependem da economia informal para se sustentar. Ficando em casa e sem clientes nas ruas, muitas pessoas viram sua renda minguar dramaticamente.

O Brasil é um dos países que menos fazem exames de diagnóstico para a COVID-19, com apenas 296 pessoas testadas por milhão de habitantes, número insignificante em comparação com os da Alemanha (20.629) ou da França (5.114), por exemplo.

Fonte: Geledés/Foto: AFP /Florian Plaucheur

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui