Ceará Rádio Clube, 87 anos

1

Gilson Barbosa (*)

            Na data de hoje, 28 de agosto, comemora-se o Dia Estadual do Radialista no Ceará, instituído pela Lei no.  16.042, de 28 de junho de 2016, sancionada pelo governador Camilo Santana. A data se baseia no registro histórico de inauguração da Ceará Rádio Clube, primeira emissora de rádio do Estado, surgida da iniciativa do empresário libanês João Dummar e de vários outros cidadãos que a ele se associaram no propósito de fundar o primeiro veículo de radiodifusão cearense. Desde 28 de agosto de 1934, a Ceará Rádio Clube, hoje Rádio Clube, tem feito história no segmento da comunicação em terras alencarinas. Além de pioneira na prestação do entretenimento e da informação aos ouvintes , a emissora tem um longo histórico de contribuição para o desenvolvimento dos aspectos social e econômico deste Estado, traduzido em inúmeras campanhas das quais participou ao longo de quase nove décadas de existência.

            A velha PRE-9, seu prefixo de nascimento que hoje nomeia uma pequena rua no bairro do Montese, onde no passado eram localizados seus transmissores, experimentou diferentes fases da evolução do rádio no decorrer do tempo. Em 1936, por exemplo, realizou seu primeiro concurso para locutor. Dessa primeira geração de profissionais fizeram parte, entre outros, José Júlio Cavalcante, José Lima Verde Sobrinho e José Cabral de Araújo. Dentre tantos ineditismos, foi a primeira emissora cearense a transmitir uma partida de futebol do campeonato estadual, em 24 de dezembro de 1939. Inicialmente instalada no bairro das Damas, a emissora mudou-se, em 12 de outubro de 1941, para os estúdios localizados no Edifício Diogo. Na ocasião, além das novas instalações, inaugurou também suas transmissões em ondas curtas, com uma grande festa que teve como destaque o Cantor das Multidões, Orlando Silva. A partir daí, foram implantados os primeiros programas de auditório, seguindo uma tendência de sucesso à época, vinda das grandes emissoras de rádio do sudeste do país.

            A partir de 1944, a emissora foi incorporada aos Diários e Emissoras Associados, o conglomerado fundado pelo paraibano Assis Chateaubriand. Nesse ano, a emissora lançou seu primeiro concurso de peças de radioteatro, com o tema “Os Grandes Processos da História”, saindo-se vencedor o jornalista e escritor Manuel Eduardo Pinheiro Campos, ou simplesmente Eduardo Campos, com a peça “O Processo de Maria Antonieta”. Ele passaria a trabalhar  na emissora, a partir de 4 de setembro de 1944, e daí por diante esteve indelevelmente ligado à história da Clube, tendo sido inicialmente locutor e, por muitos anos, o dirigente da emissora, até o final de sua vida.

            Entre as inúmeras campanhas de alcance social de que participou, a Ceará Rádio Clube realizou, em 1948, intensa iniciativa em prol da manutenção da tradicional Santa Casa de Misericórdia de Fortaleza, que enfrentava, então, enormes dificuldades financeiras para funcionar. Em 15 dias, após o início dessa campanha, foram arrecadados um milhão e 200 mil cruzeiros, a moeda da época, total muito superior aos 200 mil cruzeiros que constituíam, então, a dívida da instituição filantrópica. Participaram dessa campanha locutores como Paulo Cabral de Araújo, que posteriormente viria a ser presidente dos Diários Associados, e Luciano Carneiro, entre outros.

            Em 13 de maio de 1949, a emissora passou a funcionar em três estúdios inaugurados no Edifício Pajeú, onde dispunha também de um auditório onde foram realizadas grandes apresentações musicais. Por décadas seguintes, a Rádio Clube, como passou a ser chamada a partir de 2008, continuou sua missão de bem informar, divertir e oferecer serviços e conteúdo de qualidade aos seus ouvintes. Formou, em seus quase 90 anos de história,  também uma longa relação de competentes profissionais do rádio local, muitos deles bastante conhecidos do público, como Narcélio Limaverde, Paulo Limaverde, Wilson Machado, Aferson Braz, Neide Maia, Paulo Oliveira, João Inácio Júnior, Tom Barros, Márcio Aurélio,  Juarez Serpa Filho, Everardo Lopes e tantos outros, além de novas gerações de profissionais que passaram ou  continuam brilhando, até hoje.

            A Rádio Clube tem sido uma verdadeira escola de formação de profissionais do rádio, no decorrer de sua existência, bem como tem ofertado importante parcela de colaboração ao desenvolvimento sócio-econômico cearense. Acompanhando os novos tempos, com todas as inovações tecnológicas surgidas após o advento da internet, vem-se modernizando, utilizando novos recursos, como seu sítio (ou site, como popularmente se conhece) na internet, onde o ouvinte pode escutar a estação por meio do computador, do celular ou outros modernos aparelhos. É assim que a emissora mantém-se atualizada, sintonizada literalmente com as expectativas de seus ouvintes e consciente de seu papel como veículo de comunicação responsável e comprometido com a divulgação de notícias, esporte, entretenimento musical e tudo o mais que possa contribuir para o progresso desta terra. E, certamente, manter-se-á sempre na observância desses valores, levando adiante sua missão de bem informar e divertir. Que venham os novos tempos, para os quais certamente estaremos preparados. Parabéns, Rádio Clube, pelos seus 87 anos!

(*) Jornalista. 

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui