“Bolsonaro traidor”: grito de guerra de militares na formatura da Marinha, no Rio

0
Jair, Crivella (sem os guardiões) e governador substituto do Rio, Castro de um lado. Manifestantes, do outro

O presidente Jair Bolsonaro esteve na formatura de sargentos da Marinha, na Penha, no Rio. Presentes o governador em exercício, Cláudio Castro (PSC) e prefeito Crivella (Republicanos), alvo de uma operação que apura suposto esquema de corrupção na Prefeitura do Rio. Alegria no palanque oficial e apupos de militares do lado de fora.

Num breve discurso de cerca de três minutos, Jair afirmou apenas que estava feliz em prestigiar a formatura “nessa terra maravilhosa hamada Rio de Janeiro” e fez acenos aos militares. Já outros denunciavam seus problemas de vida, como a grande maioria do povo brasileiro.

E foi do lado de fora do evento, que houve protesto de reservistas, que chamaram o presidente de “traidor”. Eram manifestantes (entre pensionistas, integrantes da reserva e reformados das Forças Armadas) em frente ao Centro de Instrução Almirante Alexandrino. Eles levaram faixas contra a Lei 13.954/19, que mudou a Previdência dos militares.

O grupo aponta que a reforma da Previdência atingiu apenas a base — que, com isso, teria tido seus rendimentos diminuídos. Em contrapartida, resultou em aumento de vencimentos aos generais. A mudança da lei passou a vigorar no início deste ano.

“As pensionistas, que não pagavam, são tributadas agora em 10,5%, e vai aumentar mais 1% no próximo ano”, apontou Zacarias Vieira, um dos manifestantes. “Nós [da reserva] pagávamos 7,5% e passamos a pagar 10,5%. E os generais tiveram um acréscimo de salário de quase 60%.”

Fonte: Jornal O Dia/UOL/Foto: (Estefan Radovicz /Agência O DIA)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui