Audiência Pública discute sobre Passaporte Sanitário na Câmara Municipal de Fortaleza

0

Ocorreu durante toda a tarde e a noite dessa terça-feira (07/12) uma audiência pública sobre a questão do passaporte sanitário na Câmara Municipal de Fortaleza, o evento reuniu diversas autoridades tanto na área política, empresarial e médica. A Audiência foi motivado com aprovação do requerimento da Vereadora Priscila Costa na Comissão de Saúde.

Durante a mais de 6 horas de palestra o auditório se manteve cheio com grande participação do público e dos palestrantes, destacar a presença dos vereadores Sargento Reginauro, Priscila Costa, Marcio Martins, Ronaldo Martins, Inspetor Alberto e Carmelo Neto, além dos deputados Soldado Noélio, Delegado Cavalcante e André Fernandes e do Senador Eduardo Girão que fez uma fala diretamente de Brasília sobre o assunto.

“Porque nós estamos sendo submetidos a uma medida que só segrega pessoas? Meu cliente chega, ele tem uma dose e não entra? É responsabilidade do restaurante ou do bar saber como vai a saúde do meu cliente? Não seria do poder público?”, avalia a Vereadora Priscila Costa

A nível de empresário estiveram presentes o Presidente da Fecomercio Luiz Gastão e o Presidente da ABRASEL Ceará Taiene Righetto, os dois criticaram a implantação do passaporte sanitário, deixando claro serem a favor da vacinação, mas a obrigatoriedade de apresentar a documentação, está trazendo prejuízos para os bares e restaurantes, que viram cair gradualmente o movimento dos estabelecimentos desde que foi implantado essa medida no estado.

“O nosso setor e um dos mais sofridos, fechamos quase 40% dos estabelecimentos durante a pandemia, foram demitidos mais de 50 mil trabalhadores só no estado do Ceará, quando a gente pensou que estávamos começando a reconstruir o nossos empregos, nos deparamos com mais uma conta para a gente pagar, esse passaporte está sendo mais uma conta para esse setor pagar, nos estamos pagando a conta da responsabilização dessa pandemia, toda a operação e constrangimento está sobrando para o nosso setor” afirmou o Presidente da ABRASEL Ceará Taiene Righetto.

Vários médicos reconhecidos nacionalmente também participaram da audiência pública, entre eles o Dr. Zeballos, Dr. Alessandro Loiola, Dra. Maria Emilia Gadelha, Dra. Akemi Shiba, entre outros especialistas que foram unanimes em dizer que o passaporte sanitário não vai resolver o problema da Covid-19, que a própria OMS reiteradamente vem se posicionando contra essa obrigatoriedade, e que mesmo com essas ações vemos crescer em várias partes do mundo o número de casos.

“O nosso maior risco hoje é a perda da liberdade, eu fiz juramento para Hipócrates, eu ponho meu paciente em primeiro lugar, vocês foram escolhido pelo povo, vejam o que é melhor para o seu povo, para seus filho e para os seus netos e entendam que nos podemos dar um exemplo para o mundo” afirmou o Dr. Zeballos se referindo aos vereadores, que devem votar sobre o assunto nas próximas semanas.

Lembrando que foram convidados formalmente para a audiência pública representante da Secretária Municipal de Saúde, Secretária Estadual de Saúde, e representantes da Prefeitura e do Governo do Estado do Ceará, mas não se fizeram presentes.

O prefeito de Fortaleza anunciou o envio de um projeto de lei que estabelece a obrigatoriedade de apresentação de comprovante de vacinação para entrada em repartições e prédios públicos da Prefeitura. Ele já havia antecipado a proposta no final de novembro.

“Como havia antecipado, o regramento vale para servidores, terceirizados, colaboradores, estagiários e cidadãos em geral. Nos casos de acesso a serviços essenciais como saúde, assistência social e educação, haverá regras específicas”, disse o prefeito em publicação nas redes sociais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui