OPINIÃO: BARROS ALVES escreve

0
Poeta e Jornalista Barros Alves

BARROS ALVES (*)

Causou desnecessária polêmica a nomeação do novo reitor da Universidade Federal do Ceará, professor Cândido Albuquerque, figura conhecida no cenário advocatício de nosso estado como preeminente profissional nas lides forenses. Para além das insurgências ditadas pela insatisfação dos perdedores, ousados na pregação da democracia, mas incapazes de praticá-la, quando lhes sobrevém a derrota, o que se verificou na escolha do novo reitor foi a concretização de um compromisso assumido em palanque pelo presidente da República no respeitante à desideologização de esquerda na academia, a qual ao longo dos últimos 20 anos infestou o sistema educacional brasileiro, sobretudo a universidade, transformando grande parte do corpo docente e discente das escolas superiores em universiOtários.


No processo de escolha de reitores as regras estão postas há muito e, no caso em apreço, foram rigorosamente obedecidas segundo a legislação pertinente, a partir da lista tríplice enviada ao Ministério da Educação pelo Conselho Universitário, na qual constava o nome do escolhido. A nenhum dos concorrentes faltavam merecimentos, mas cabe ao presidente da República, constitucionalmente, a discricionariedade de nomear o nome que lhe convier entre os três apresentados. Com propriedade, o preeminente advogado e professor Adriano Pinto chama a atenção para o fato de que “não se pode conceber que advogados, professores e outros dos denominados operadores do Direito ignorem a ordem constitucional e legal em questões sobre as quais se manifestem, ao que se impõe entender que há existência de mera motivação de disputa político-ideológica na ação orquestrada com o discurso de defesa da ‘autonomia universitária’ e reação a ‘interventor”. Esse discurso de “interventoria” na UFC, por si só, desmoraliza aqueles que o verbalizam.


Por pertinente, lembre-se que a escolha do novo reitor contou com um trabalho persistente do deputado federal Jaziel Pereira junto ao seu amigo Abraham Weintraub, ministro da Educação, ambos imbuídos do inarredável propósito de resgatar a Universidade Federal do Ceará para o leito original, onde assoma a vocação natural para o ensino e a pesquisa, áreas em grande medida abandonadas e/ou vilipendiadas nos últimos anos, em face do crescimento no seio universitário da disseminação de ideologias malsãs, na esteira das quais os professores se transformaram gramscianamente em militantes políticos a conduzir um rebanho de jovens sedentos de transformação para insondáveis abismos. A nomeação de Cândido Albuquerque aponta para um novo “modus operandi” na UFC, qualificando-a para que reassuma o lugar de destaque no cenário do ensino superior no Brasil.

(*) Jornalista e Poeta, apresenta diariamente, ao lado dos também jornalistas André Capiberibe e Renato Abreu, o programa JORNAL DA CLUBE, às 18hs, na RADIO CLUBE 1200

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui